31 de dez de 2016

Mensagem de final de ano

http://www.estacaodanoticia.com/main/wp-content/uploads/2016/01/Ju-isen-musa-protestos.jpg
Foto retirada de:
http://estacaodanoticia.com/main/wp-content/uploads/2016/01/Ju-isen-musa-protestos.jpg

O Cidadão Silva deseja muita força, perspicácia e sorte no ano vindouro a todos aqueles brasileiros que serão afetados, de alguma forma, pelas duras medidas de um governo golpista, elevado à condição de tal, exclusivamente para promover o aperto no bolso da população mais massacrada do país e aliviar as contas dos patrões.

Mas o redator deste blog não é vingativo, como o é a classe média, e deseja a todos aqueles que inflaram bonecos, pintaram rostos de verdamarelo, que ensaiaram dancinha e que bradaram contra a corrupção dos outros que, em 2017, não se sintam verdadeiros idiotas quando perceberem que também pagarão o pato da FIESP, que verde e amarelo, ao contrário do vermelho e do preto, não significam cores de luta, mas cores de uma bandeira suja, de um país sujo, com um passado obscuro e um futuro incerto, que os passinhos vindos do Ceará não enobreceram as manifestações patrocinadas pelos grandes empresários da mídia nacional, mas as deixaram mais ridículas, e que a corrupção é um mal que deve ser tratado, mas, tal como uma doença grave, se não for tratada como um todo, digo, se só a corrupção de um for eliminada, a corrupção do outro vai consumir todos os neurônios de quem pediu intervenção militar e apanhou da PM enquanto fazia isso.

O blogueiro também espera que você, que foi pato, que se coloriu, que dançou (e que vai dançar ainda mais em 2017 e até 2038) e até aqueles que bateram panelas nas sacadas dos apartamentos comprados a vista com dinheiro de propina ou financiado por um programa de governo, que perceba que o Brasil não está quebrado. A nação estava em fase de crescimento acelerado e adquiriu dividas, assim como você mesmo fez quando viu um tostão a mais no final do mês. E isso é normal. Se endividar é normal quando a dívida é revestida em benefícios para a própria nação, como também foi normal quando você adquiriu bens, serviços e mais conforto para sua família.

Mas, se você não acredita que o Brasil não estava quebrado, pelo menos seja corajoso o suficiente para se perguntar, mesmo que escondido, no banheiro, por que o tenebroso governo da ordem e do progresso anistia dívidas de pessoas físicas de até R$ 1 milhão; por que este governo não discute a volta da CPMF, aquele imposto que é cobrado de acordo com a movimentação bancária – quem movimenta mais, paga mais – e propõe elevar a cobrança sobre o ISS (ai o pobre de direita fica sem argumentos para defender o Governo: qual pobre tem dívida ativa de R$ 1 milhão para ser perdoada e qual pobre movimenta milhões e milhões para ter uma perda tão grande nas suas contas bancárias?).

Se isso ainda não for suficiente, e se o pais realmente necessita de injeções de dinheiro, o que dizer da venda do campo de exploração do pré-sal de Carcará, que tinha valor estimado em mais de U$ 28,6 bilhões, por meros U$ 2,5 bi? Só lembrando que a sigla U$ tem cotação maior que a R$, para os desavisados e/ou displicentes.

Convencido? Não?

Então, como ficam as contas de um país falido com um acordo de perdão de uma dívida de R$ 20 bilhões das empresas de telecomunicação, mas que, segundo auditoria do TCU, passa dos R$ 100 bi, somados a cessão de outros R$ 20 bilhões em patrimônio que deveria retornar aos cofres dá União em 2025.

Logico que não vou citar o aumento do judiciário, a elevação de gastos com publicidade, uma vez que os dados são muitos e o máximo que o Cidadão Silva pode fazer, por você, é indicar onde pesquisar.

No final, este blog deseja que os neo-consciente-politicamente, os pobres de direita (mito) e os cães-raivosos-medioclassistas esqueçam o discurso da anti-corrupção, uma vez que a praticam também, e pensem na coletividade; esqueçam que meritocracia, os doendes do jardim da casa de Xuxa e Papai Noel só existem para uns poucos privilegiados; e percebam, de uma vez por todas, que não há aumento do poder aquisitivo, melhoria dá condição social, da educação e da saúde e mais acesso à cultura que não passem pelo crivo de uma coisa chamada POLÍTICA PÚBLICA. E que essa política pública é feita por políticos. E que políticos são eleitos e dispensados em ciclos de 4 ou 8 anos. Todo o resto, todo mesmo, é apenas uma questão de consciência ou de hipocrisia.


Feliz Ano Novo a todos!