19 de dez de 2011

Atenção, todos! Bico calado! O aumento é esse e ponto final!

Se valendo da falta de organização, de unidade, de apoio da sociedade e, sobretudo, do estatuto da Polícia Militar, que prevê que nenhum membro desta corporação poderá se reunir com pretensões de discutir melhorias nas condições de trabalho e salário (o que chamam de motim), podendo, inclusive, serem presos, o Governo do Estado lança mão do novo aumento para o funcionalismo público, com diferencial para esta categoria (desorganizada, desunida, desapoiada e dessindicalizada (neologismo???).
Como não fosse pouco atropelar a chamada PEC 300 da Paraíba, derrubando-a junto ao poder judiciário, e não cumprir a lei de remuneração aprovada na era Cássio, que previa um aumento de 15% lá em dezembro de 2010* (exatos doze meses atrás), o governador RC da Paraíba anunciou que o aumento para os policiais será dado em forma de gratificação, jogando pelo ralo uma conquista (também da era Cássio) que as unificava. Segundo o que diz matéria do G1 Paraíba, a PM receberá uma bolsa desempenho que terá variação entre R$ 260,00 e R$ 1.000,00.
Se o Governo da Paraíba fosse um veículo de transporte público, eu diria que ninguém segura esse trem!
(*) O aumento de 15%, previsto para o mês de dezembro de 2011, deixou de ser pago porque a famosa PEC 300 da Paraíba seria implementada no mês subseqüente. Dessa forma, com uma outra lei de remuneração, aquela primeira teria sido substituída. Em a segunda lei sendo considerada nula, a lógica previa o retorno da anterior, o que não aconteceu.Se o Governo da Paraíba fosse um veículo de transporte público, eu diria que ninguém segura esse trem!

Imagens editadas, retiradas de: http://clpompeu.blogspot.com/ e http://blogamos.com/

29 de out de 2011

CPMF? A quem NÃO interessa?

Essa semana, durante a diplomação do senador Cássio Cunha Lima, ouvi da boca deste, e em canal aberto de televisão, que no senado, o ex-governador da Paraíba iria combater a Contribuição Provisória sobre a Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira – CPMF. Mas, porque as emissoras de TV e muitos políticos de prestígio e, principalmente de oposição ao governo federal, e até alguns aliados, são contra o tal imposto?

Vejamos! Quando você coloca combustível no seu carro, ou compra uma roupa, um calçado, um imóvel, sobre todas essas operações incidirá alguma cobrança. Se você é empresário, micro ou mega, também contribui de alguma forma para os cofres públicos. Contudo, tendo você perfazendo um salário mínimo ou recebendo como um juiz de direito, de repente, algo em torno de 28 mil reais, comprando algo, como dito antes, seja gasolina pro carro, ou o tênis pra ir trabalhar, a taxa será a mesma. Para entender melhor veja um exemplo, com percentuais fictícios:
Você compra um tênis de marca por R$ 245,00. Na Paraíba, o ICMS, que é o imposto pago por circulação de mercadorias e prestação de serviços, é de 17%. Recorrendo à calculadora do “Windows" e aplicando uma regrinha de três básica, verifica-se que o valor pago como contribuição para o Estado é de R$ 35,60. Esse valor pago a mais não varia de acordo com o seu salário, receba você R$ 600,00 ou R$ 28.000,00. Nesse caso, obviamente, a contribuição fica muito mais pesada para quem recebe menos, porque 35 reais se reflete em um percentual maior para quem recebe um salário mínimo do que para quem recebe 51 vezes mais.
No caso do CPMF, a contribuição é feita de acordo com o valor da transação. Se você movimenta no banco, o seu salário, que estou estipulando como sendo mil reais, por exemplo, e tomando como base que o imposto fosse de 1% (claro que não chegaria a tanto, mas pra facilitar os cálculos fiquemos com um por cento), você contribuiria com R$ 10,00 para o fundo de saúde. Porém, se seu salário é de 30 mil reais, e você fosse movimetá-lo todo de uma só vez, pagaria agora R$ 300,00. Agora, imagine os magnatas, os políticos, banqueiros ou quaisquer outros cidadãos que movimentam milhões por dia!
Se você conseguiu acompanhar o raciocínio, agora pode perceber porque tanto a mídia (que tem como detentoras umas nove famílias que lucram bilhões por ano) como os nossos representantes políticos insistem tanto em barrar a CPMF. E é justamente a mídia que manipula nossas vontades, deturpa informações e nos faz também sermos contra o imposto do cheque.
Pensem nisso! Ah! E comente aqui este texto!
Imagem retirada de:

28 de jul de 2011

Postagem curta

Desde que vendi meu carro não andava tanto por tantas ruas na cidade. E sabe o que eu encontrei por ai?

Buraco, buraco, buraco!

O que está havendo com a cidade? Cadê o asfalto? Meninos! Não respeitam nem mais as ruas por onde passam as linhas de ônibus. E a depreciação? Os empresários não reclamaram?

Ah! Também vi muita, mas muita sujeira pelas ruas. E não falo de sujeiroa engravatada não, porque isso eu deixo pra Dércio falar no blog dele. Falo de lixo mesmo. Aquele lixo que enriquece superintendentes de autarquias e empresários laranjas (laranjas no bom sentido, não no sentido de ser do partido laranja).

Sabe o que eu não vi? Aqueles coletores de lixo, dos quais a Emlur informa gastar milhares de reais por mês para substituir os danificados. Não vi nem os danificados.

Contudo, continuo na torcida para que nossa cidade continue sempre bela e convidativa ao turismo, mesmo que essa não seja a vontade de muitos!

3 de jul de 2011

Baixaria na mídia - Fórum de ética e mídia se prepara para lançar campanha na Paraíba

Por: Juliana Lichacovski ( Jornal da Paraíba )

Preocupados com a falta de respeito aos direitos humanos e à dignidade do cidadão em programas de rádio e TV veiculados no Estado, a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba (OAB-PB), a Associação Paraibana de Imprensa (API) e o Sindicato dos Jornalistas darão início este semestre à campanha “Quem financia a baixaria é contra a cidadania”. Na segunda-feira, dia 4, as entidades devem se reunir na sede da OAB-PB para dar início à estruturação da campanha, que será lançada no dia 30 de julho, durante uma audiência na sede da OAB-PB. A ação tem o objetivo de conscientizar as empresas jornalísticas de seu papel social e as empresas patrocinadoras desses programas para a vinculação de sua marca ao incitamento ao crime, atentados aos direitos humanos de minorias, preconceito racial, homofobia, dentre outras violações aos direitos humanos e cidadania propagadas através dos programas.

De acordo com o advogado, membro da Comissão do Fórum de Ética e Mídia da Paraíba e representante da OAB-PB, Alexandre Guedes, a partir do lançamento da campanha, será realizado um acompanhamento permanente da programação de rádios e TVs de todo o Estado. “Vamos publicar uma lista dos programas que incitam o preconceito, a apologia ao crime e não respeita a ética jornalista”, disse. O advogado informou que durante a campanha no Estado, a população também terá meios para denunciar todo e qualquer conteúdo de incitamento ao crime, o preconceito racial e a homofobia, bem como qualquer conteúdo que ataque as minorias, crianças e adolescentes.

Além disso, as entidades que estão à frente do movimento pretendem debater o tema com os anunciantes, que segundo Alexandre Guedes, são os maiores financiadores dos programas que desrespeitam a Constituição, a cidadania e os direitos humanos. Eles serão chamados pela Comissão do Fórum de Ética e Mídia da Paraíba para conscientização quanto ao exercício de sua responsabilidade social e cidadania junto à comunidade. “O trabalho da campanha é estratégico. É muito difícil retirar esses programas do ar por força da autorregulamentação, já que esses programas possuem alta audiência das classes C e D. Nosso objetivo, então, é trabalhar junto às empresas que financiam esses programas para que eles tomem a decisão de colocar um fim nisso, deixando de patrocinar esses programas, que não se sustentam sem seus anunciantes”, explicou o advogado.

Para o coordenador do curso de Comunicação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Dinarte Bezerra, as empresas de comunicação também devem ser cobradas. “A notícia é uma mercadoria, então, também se deve enquadrar a empresa de Comunicação no Direito do Consumidor”, destacou. A presidente da Associação Paraibana de Imprensa (API), Marcela Sitônio, destacou, porém, que a campanha “Quem financia a baixaria é contra a cidadania” não tem a intenção de ser contra o profissional de Comunicação à frente desse tipo de programação.

“Queremos melhorar a programação no Estado e fazer com que certos temas deixem de ser banalizados”, lembrou a presidente, destacando que após o lançamento da campanha, programada para o dia 30 de julho, uma Comissão, formada por representantes da OAB-PB, Associação Paraibana de Imprensa (API) e Sindicato dos Jornalistas, terá a incumbência de fiscalizar o conteúdo veiculado em rádios e TVs do Estado.

DENÚNCIAS

A campanha ‘Quem Financia a Baixaria é contra a Cidadania’ nasceu em 2002, fruto de deliberação da VII Conferência Nacional de Direitos Humanos e é uma iniciativa da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. O espírito da decisão foi criar um instrumento que promovesse o respeito aos princípios éticos e os direitos humanos na televisão brasileira. A nível nacional, qualquer conteúdo pode ser denunciado através do número 0800-691-619. A ligação é gratuita.

Segundo o site www.eticanatv.com.br - em 2010 foram fundamentadas 217 denúncias em todo o país. No ranking dos mais denunciados estiveram o programa ‘Pânico na TV’ (Rede TV), ‘Brasil Urgente’ (Band TV), ‘Se liga Bocão’ (Rede TV), ‘A Fazenda’ (Rede Record) e o programa ‘Chumbo Grosso’ (Rede TV).
 
***
 
Este texto me lembrou um artigo, postado neste blog e no portal do Brasil Escola, cujo tema é o mesmo e o título é Ética Versus Baixaria: Controlar não é Censurar - Um fim bem promissor para a televisão brasileira.
Leiam!

19 de mai de 2011

E agora, José - Vol. 2

Mais uma vez me atrevo a escrever sobre o cenário político da Paraíba. E faço saber que, durante todo o período pré e eleitoral, denunciei que o senhor altivez Ricardo Coutinho se encaminhava para uma encruzilhada, na sua sede de conquistar tudo, doendo em quem doer.
As reflexões que foram postas neste mesmo blog, nos textos e também nos comentários de alguns leitores mais lúcidos, davam conta de que, em suma, a aliança PSDB/DEM/PSB não traria melhoras para o Estado em hipótese alguma e que, a reboque, não seria em nada proveitoso para os “laranjas” aficionados do PSB. Os registros previam que, entre o segundo semestre de 2011 e todo os três últimos anos do governo ricardista, haveria tensão provocada, sobretudo, pelos apaixonados por Cássio.
É possível localizar um trecho onde David Soares diz quais seriam as palavras do ex-governador para se distanciar de Ricardo. Segundo ele, Cássio Cunha Lima iria para a imprensa despejar que por alguns meses tentou trabalhar com Ricardo mas estava dando murro em ponta de faca. Em outras palavras, Cássio sairia como bom moço e jogaria o “Mago” na cova dos leões.
Ora! Devo reconhecer que, de certo modo estivemos errados. Pois vejam, nem bem o semestre foi concluído e o Sistema Paraíba de Comunicação não só se distanciou do governo estadual como dia após dia traz uma novidade acerca da chamada quadrilha do Coletivo Ricardo Coutinho. São denuncias atrás de denuncias e até um programa novo de rádio, voltado exclusivamente para causar “polêmica” com essas denuncias que deixam os cabelos brancos do governador cada vez mais branco.
O que estaria por trás disso?
Sabemos que, historicamente, grupo Cunha Lima e Sistema Paraíba comungam do mesmo pensamento político, transcrito nas entrelinhas das editorias dos jornais impressos e televisivos. Então, se a Rede Paraíba se pintou de laranja durante todo o ano de 2010, porque então vem fazendo campanha acirrada contra Ricardo? Será que o elo Cunha Lima/TV Paraíba se rompeu?  Eu não apostaria nisso.
Contudo, fica o alerta para aqueles que acreditaram que a aliança foi necessária e que PSB e PSDB/DEM poderiam quebrar o retrovisor e olhar para a frente, numa perspectiva de novos rumos para o Estado. Realmente, estas siglas não são farinhas do mesmo saco, porque no saco do PSDB não há espaço para políticos emergentes. Alguém lembra de uns certos Dr. Júnior e Cozete Barbosa?

Comente este texto clicando aqui!

8 de mai de 2011

Chuvas e desmatamento

Depois de exatos 31 dias sem postar nada, e ao de me deparar com mais enxurradas pelo Brasil, e em especial na cidade de Santa Rita, na microrregião de João Pessoa, resolvo fazer um breve comentário sobre chuvas em excesso e desmatamento.
Santa Rita localiza-se há mais ou menos 13km da capital paraibana, e é conhecida, entre outros produtos, pelos canaviais, tipo de cultivo que necessita de grandes extensões de terra. Obviamente que, para o plantio de cana-de-açúcar, algo tem que ser eliminado para dar lugar à essa cultura, e, claro, a floresta, ou a mata (atlântica), foi a vítima. Só para conhecimento, na região de tabuleiros da Paraíba, predomina(va) a floresta de mata atlântica e o cerrado, em menor escala.
E o que a mata e as arvores desta mata têm a ver com excesso de chuvas? O Dr. Wolf Dietrich Heckendorff, professor do Departamento de Geociências da Universidade Federal da Paraíba explicou, em uma de suas aulas, que um dos motivos para grandes precipitações em pouco espaço de tempo é justamente o desmatamento. Segundo ele, através do processo da fotossíntese as árvores acumulam água, liberando-a aos poucos, durante a noite, com o que conhecemos como orvalho, evitando assim elevado grau de evaporação e conseqüente nebulosidade. Sem árvores, a evaporação é quase que instantânea, criando nuvens carregadas que se precipitam, caem em forma de chuvas.
A região de João Pessoa tem precipitação média para o mês de maio de 282mm. Com uma alteração muito pequena nesses números devido à altitude de Santa Rita em relação a João Pessoa, o registrado para os 10 (dez) primeiros dias foi de 131mm (vide site da AESA), ou seja, quase metade do previsto para todo o mês.
Heckendorff salientou, ainda nas suas aulas, que as medições pluviométricas não tem variações de ano a ano. Dessa forma, o previsto para o ano de 2010 terá índices parecidos com os previstos para este ano (2011), para os anos anteriores e posteriores. O que muda é a precipitação para determinado período.
Cidades como São João do Rio do Peixe e as demais por onde passa o Rio Piranhas, ou Santa Rita, no nosso caso, com o Rio Paraíba, são suscetíveis a cheias devido esse processo de precipitação, uma vez que, caindo em excesso, as águas procuram os rios, e estes por sua vez, não comportam tamanha quantidade de água em pouco tempo, transbordando e inundando as áreas das encostas.
Um alerta que aproveito para fazer diz respeito às construções exacerbadas no entorno das cidades grandes, com desmatamento descontrolado e que, em poucos anos fará de cidades que sofrem pouco ou não sofrem ainda com as enchentes, fortes candidatas a inundações, desastres e mortes.

Comente agora este texto! Clique aqui!

7 de abr de 2011

FW: Correio Verdade e jornalismo-piada que manipula...

Recebi por e-mail este texto mais do que urgente, e resolvi postá-lo no Cidadão Silva.

A TV paraibana nunca foi tão ridicularizada. As mortes transmitidas das 12 às 13h, que já eram prato principal dos almoços de muitos paraibanos "vidrados" no correio verdade agora estão do jeito que o jornalismo imprudente sempre sonhou: as pessoas riem da desgraça alheia e a bandidagem ainda vira melô, hit musical...
Pois é, as novas celebridades do jornalismo local não são reconhecidos por seu trabalho sério e competente em informar...não são visto pelo Brasil como repórteres que elevam a Paraíba...são reconhecidos em toda a parte, mas, como o próprio Portal Correio anunciou em 2010, " Agora, toda a Paraíba vai ver e conhecer a força, a alegria e a irreverência de Samuca Duarte e Emerson Machado." É mesmo uma pena que estivessem falando de um programa policial...
Sucesso no you tube, orkut e afins, a "dança do mofi" é unanimidade: agrada tanto aos cidadãos de bens quanto aos bandidos. As crianças, incentivadas até mesmo pelos pais, colocam a camisa na cabeça e com os braços para trás dançam e aumentam a popularidade do jornalismo que todas as tardes ri da falta de consciência de uma população que já acostumada com a impunidade, resolveu aceitar que ela virasse piada.
Tratados como "amigos" (já que são a audiencia), os criminosos até gostam das brincadeiras, afinal de contas, nem é assim tão grave o que eles fazem...
...
Para mim, parecia que já tinham usado e abusado de todas as armas do sensacionalismo, mas mostraram que não: no dia 31 de março o telejornal foi transmitido em pleno Mercado Público de Mangabeira, e é claro, com direito a palco e plateia. A cada notícia de mais uma entrada no Hospital de Emergência e Trauma ou de uma briga em bar que acabava em morte, uma música era tocada pela banda que estava participando do Caravana da Verdade. Lágrimas, perdas e outras tristezas que merecem respeito (seja por quem for), viraram show. Um show desejado e aclamado por muitos telespectadores. Ah, a ideia contraditória e doentia da contratação da banda foi anunciada no prórpio Portal Correio, com as seguintes palavras:" A Banda Identidade Baiana realizará um show para animar ainda mais o evento, das 11h às 14h."
Samuka Duarte, Emerson Machado ( Mô- fi), Marcos Antonio (O Àguia), Josenildo Gonçalves (O Cancão da Madrugada) e toda a equipe de edição do Correio Verdade conseguem, dia após dia, tornar animadas as refeições de paraibanos que não se importam em almoçar frente às cenas de corpos perfurados e poças de sangue humano. Creio que não conseguem, com a mesma eficácia, tornar menos dolorosa a sina de uma mãe que sente a dor de ter um filho que agora é presidiário, de parentes de uma criança que morreu acidentalmente ou de um pai, que vê seu filho destruído pelas drogas, morto e servindo de audiência para um programa de humor chamado Correio Verdade.
Não sou jornalista. Sou nutricionista, mas antes disso, cidadã. Incomodada com o desprezo explícito à vida humana senti a obrigação de pedir a todos os meus contatos que repensem seus valores de respeito e dignidade à vida sempre que pensem em assistir esse e outros programas que indiquem sinais tão fortes de insulto a nós, telespectadores. Insulto a nossa capacidade e direito de exigir jornalismo de qualidade em palavras e atitudes.
Se concorda, repasse o email. Quanto mais as pessoas se conscientizarem dos "pequenos" males que nos envolvem com graça e alguns risos com gosto de sangue, mais chance teremos de exercer e usufruir daquilo que chamamos de cidadania. Merecemos mais respeito.
Atenciosamente,
Elaine Oliveira
Nutricionista e Personal Diet

24 de mar de 2011

Em guerra avisada, só morre quem quer

Dias desses, Dércio, o mais anti-ricardista comunicador da blogosfera, imprimiu em seu portal uma constatação quase que óbvia, pelo menos para quem leu todos os post do Cidadão Silva e também os comentários escritos acerca destes textos.
Trocando em miúdos, Dércio revela que Cássio, ex-governador, ex-aliado de Maranhão, agora ex-cassado pela justiça, está prestes a se tornar um ex-aliado de Ricardo. Tudo graças à decisão do Supremo Tribunal Federal que, além da cadeira no senado, lhe entregou plenos direitos eleitorais.
Isso resume-se a um fato com o qual Ricardo não contava: Cássio pode se candidatar a governador em 2014. Da mesma forma, o mago não contava com a entrega do governo do Estado à Maranhão, em 2009, o que pôs abaixo a aliança travada desde 2004.
Mais abaixo, listarei os links de todas as postagens referentes a este tema, para que você não precise perder tempo procurando. Mas, atenção! Leia os textos e leia também os comentários. É fundamental para entender alguns posicionamentos meus em relação ao atual governador do Estado, Ricardo Coutinho.
Contudo, para os que não lerão, quero que façam a seguinte reflexão:
Se em 2004, Ricardo estava ao lado de José Maranhão, na prefeitura da capital, com um vice-prefeito do PMDB; se em 2006 o então prefeito saiu de leste a oeste pregando que Maranhão era a salvação; se em 2008 manteve a aliança em troca da reeleição, mesmo já dando sinais de uma possível traição quando não abriu mão de entregar a vaga de vice ao PMDB; se em 2009 com a cassação de Cássio, a ida de Maranhão para o governo abalou os sentimentos do prefeito, uma vez que com a máquina na mão, o “véi” jamais abriria mão da reeleição; e se no mesmo ano Ricardo mudou de idéia, se aliou a Cássio (o mesmo de antes, sem tirar nem pôr, só que cassado) e pregou, agora no sentido inverso, de oeste a leste, que Cássio é que era o salvador da história (mesmo que ele – RC – não tenha reconhecido que errou em eleições anteriores); e agora, depois de ter feito o pior e mais trágico inicio de governo da história da Paraíba, e com Cássio tendo, como uma Fênix, ressurgido das cinzas, e com plenos direitos eleitorais, o que devemos esperar para 2012 e 2014?
Não sou do contra. Não quero o pior para o meu Estado. Mas, como dizem os militares: “em guerra avisada, só morre quem quer”.
Clique no título do artigo para ser redirecionado
Artigo: Réveillon em dose dupla (23/12/2009) – obs.: O inicio da disputa
Artigo: A decepção do século (05/02/2010)
Artigo: Onde estão? (28/07/2010) – obs.: os comentários são ótimos
Artigo: A contradição imposta pelo coronelismo de um partido (10/09/2010) – obs.: o melhor debate nos comentários
Artigo: E agora José? (02/11/2010) – obs.: me rendeu sensura

3 de mar de 2011

Saudades da imprensa marrom!

Estamos vivenciando, em nível nacional, a empreitada global para cooptar a presidenta Dilma Rousseff, tal qual foi feito em 2003 com Lula.

Essa empreitada tem tudo a ver com o medo da chamada “Ley dos Medios”, que versa por moralizar os meios de comunicação no pais, que foram criados à luz da ditadura militar, as custas de trocas de favores entre empresários, sobretudo Roberto Marinho, e governo.

Contudo, alheio a essa discussão, a imprensa local vai mudando de cor de acordo com as mudanças no cenário político na capital e em Campina, ou no Estado como um todo.

De onde pode-se tirar essa conclusão? Vejamos! Entre 2003 e 2008, vocês irão lembrar muito bem disso, grande parte das emissoras de rádio e televisão vestiam azul e verde. Uma voz na multidão gritava vermelho e, logo após, laranja. Em 2009 o cenário começa a mudar. Quem estava com as cores da bandeira nacional vestiu laranja e em 2011 essa cor toma conta das demais.

Agora, como se certificar de que isso realmente é verdade?

Vamos tratar da greve das polícias, deflagrada essa semana. Todos os portais, sem exceção, todas as emissoras de radio e TV, tentaram minimizar o tamanho da mobilização repassando para a população que apenas Campina Grande e João Pessoa haviam aderido à greve. Era a missão dada ao segundo time da SECOM do Estado. E até estava pegando.

Eis que sites de relacionamento, blogs e portais independentes, todos criados, editados e mantidos, também, por pessoas que estiveram com os policiais, na luta pelo aumento dado e não pago, diziam justamente o contrário. Capital e interior juntos, unidos, fechados na questão da greve. Patos com medo do aumento da violência. Sousa sofrendo com as enchentes e sem poder contar com o Corpo de Bombeiros.

Além desse fato noticiado de acordo com o interesse de apenas um dos lados, outros acontecimentos vêm sendo tratado da mesma forma. De fato, com uma imprensa que não nos conta o outro lado da moeda, estamos agora reféns do laranjismo jornalístico.

Que saudades da imprensa marrom!

18 de fev de 2011

Profecia

Este vídeo foi produzido pela equipe de campanha de Ricardo Coutinho às vésperas do 1º turno das eleições da Paraíba. Foi exibido no dia 15 de setembro e o tema foi Concursados.

Interessante rever esse vídeo, aqui, editado, ou na íntegra, no canal RCoutinho2010 do youtube (canal da campanha de Ricardo) e comparar com os seus quase dois primeiros meses de gestão.

Não farei mais nenhum comentário. Deixarei que você use sua imaginação e faça uma analogia entre o discurso pra se eleger e a pratica do eleito.

video
Link vídeo completo: http://www.youtube.com/watch?v=CfWT0J4qtVQ&feature=related

1 de fev de 2011

Jornalismo patético e um lenço na mão

Não é de hoje que se tem a impressão de, ao abrir um jornal, ou um portal, se estar recebendo um e-mail da assessoria de imprensa de determinado político local.

São matérias “bajulativas”, pouco informativas e sem nenhum cunho jornalístico de fato. Muitas vezes, ao bel prazer do seu escritor, se não informa, até mesmo desinforma, ou informa errado, pela simples vontade desse tal jornalista de alimentar o ego de seu ídolo.

O que está por trás desse ambiente hostil ao verdadeiro jornalismo aprendido nas universidades? Ideologia? Máquina pública alimentando as contas dos redatores, ou das redações? Fanatismo? Falta de formação?

Talvez. Por ideologia, obviamente ‘capitalistico-neo-liberalista’ poderíamos citar as revistas de porte nacional, como a Veja. Mas, além do amadorismo das redações dos nossos principais jornais, e porque não dos portais menores espalhados pela grande rede daqui do Estado, obviamente, uma tendência política cerca textos e redatores, matéria após matéria, além, também, dos patrocínios ou, principalmente, em muitos casos, das trocas de favores.

Tencionar a opinião de leitores acerca da idoneidade de deputado fulano, da lisura legislativa de vereador sicrano, ou da ausência da falha (aquela tão comum nos humanos) de governador beltrano, se tornou tão corriqueiro, que às vezes me pergunto se realmente aquele jornal é um jornal privado, ou se ele é privado de liberdade de comunicar o que legitimamente interessa à sociedade.

É fato também que, assim como cada editoria tem sua cara – a cara do editor-chefe (e geralmente ela é ligada a um político), também pré-selecionados são os seus leitores. Prova disso está nos comentários de certas matérias nos portais de internet.

Outra explicação para essa grande falta-ética do jornalismo local poderia ser a ausência dos referidos jornalistas às escolas superiores de formação profissional, uma vez que, na sua imensa maioria, são pessoas que por dom (divino ou não), passam a fazer parte do corpo de colaboradores da imprensa. Mas mesmo nas academias pode-se identificar sujeitos que vão aderir ao clube do ‘falo o que quero, se isso te agradar!’.

Comente este texto agora!

6 de jan de 2011

Você conhece este homem?



Ele é o responsável pelo aumento das passagens de ônibus em João Pessoa de R$ 1,90 para R$ 2,10.

Seguindo os aprendizados do seu antecessor, Ricardo Coutinho, Luciano Agra concedeu mais um aumento abusivo para o setor de transportes públicos da capital. Ele é o responsável também pelo lendário comentário que disse que “a cidade precisa de transporte de massa”, ao se referir ao sistema de metrôs na cidade. Ora, doutor! Metrô é o quê, então?

Você nunca votou nele, mas este homem é o atual prefeito da cidade de João Pessoa.

Conceder aumentos acima da inflação, e fazer isso em época de recesso escolar, inviabilizando a mobilização dos estudantes, os quais historicamente lutam contra os aumentos; não dialogar com motoristas de transporte alternativo, inclusive tachando-os de “clandestinos”; manter a AETC-JP no comando de tudo relacionado ao transporte público; e fugir de todo e qualquer tipo de discussão acerca da criação de metrôs em João Pessoa, são as ferramentas que a prefeitura de João Pessoa dispõe para satisfazer a vontade dos empresários de ônibus coletivos, trabalhando de mãos dadas pela melhoria na qualidade de vida desses empresários, em contrapartida aos apoios logísticos dos quais necessitam as personalidades políticas que por essas bandas atuam.

Viva o SOCIALISMO embutido na sigla PSB! Viva as transformações sociais sofridas pelos empresários de transporte coletivo na era RC/LA! E viva os votos destinados a um, que elegeu o outro!